O LABRADOR - Perguntas Frequentes

FAQ
 
O labrador é um bom cão para crianças?

Sim. O labrador é um cão dócil, muito companheiro e resistente mesmo às brincadeiras mais abrutalhadas das crianças. Meus filhos foram criados em contato estreito com diversos labs e nunca tive qualquer problema. Claro que é importante que o lab tenha o temperamento original da raça e que as crianças saibam que se trata de um cão e não de um brinquedo! Cães com problemas de temperamento existem em todas as raças e estes não devem ser procriados.

Quanto vive um labrador?

Por serem cães muito resistentes os labs, desde que sejam bem cuidados, vacinados e desverminados adequadamente vivem em média 14 anos.

O labrador pode servir para guarda?

Não... a índole pouco territorialista e dócil da raça não recomendam o cão para esta função. Naturalmente o cão pode dar o alarme quando alguém chegar no portão, mas se o interesse é por um cão de GUARDA, realmente, existem raças mais indicadas.

O labrador pode viver em apartamento?

Poder, pode, mas não é o ideal para a raça. O labrador é um cão que precisa de espaço e de exercícios para que possa se desenvolver bem, mas, acima de tudo, o lab quer estar junto com sua família. Se o proprietário tiver tempo para fazer os exercícios diariamente, é possível criá-lo em apartamento, mas, neste caso, é importante também não exagerar na alimentação porque, com menos espaço e atividade, o lab pode engordar e ter problemas de saúde.

Como é feito o controle de displasia?

O laudo é feito por um veterinário, e é o que determina se aquele cão pode ou não acasalar. A displasia é um problema genético e, mesmo que todos os ancestrais tenham sido liberados para acasalamento, isso não determina que aquele filhote não vá apresentar o problema. Por isso é fundamental que o futuro proprietário faça o raio-x de seu exemplar.

Existe problema em acasalar cães de cores diferentes?

Não... não existe problemas em acasalar cães de cores diferentes, no entanto, existem acasalamentos entre cores que não são recomendados. Por exemplo: não é recomendado o acasalamento de cães amarelos com cães chocolate, porque aumenta a probabilidade de a ninhada apresentar problemas de pigmentação.